terça-feira, 26 de maio de 2009

Palavra-semente





(Arte: Van Gogh - O Semeador)


À Socorro Dantas, em seu aniversário (27/05)


Se conheces a arte de semear estrelas, eu não sei – embora desconfie.

No entanto, certifico o manejo primoroso com a palavra, seus avessos e reversos, o que não se diz e o que escapa, nas demandas de horas marcadas e remarcadas.

Grata por cada palavra-semente acolhida e semeada, nos tempos de fartas colheitas e de searas escassas.

(VaneideDelmiro)



"Mas o senhor é homem sobrevindo, sensato, fiel como papel, o senhor me ouve, pensa e repensa, e rediz, então me ajuda. Assim, é como conto. Antes conto as coisas que formaram passado para mim com mais pertença. Vou lhe falar. Lhe falo do sertão. Do que não sei. Um grande sertão! Não sei. Ninguém ainda não sabe. Só umas raríssimas pessoas – e só essas poucas veredas, veredazinhas. O que muito lhe agradeço é sua fineza de atenção."
(João Guimarães Rosa, Grande Sertão: veredas)

2 comentários:

Sempre em Trânsito disse...

Muito bom, extremamente inteligente.

Socorro Dantas disse...

Lindo texto. Muito obrigada pela delicada homenagem, alvo de minha surpresa ao abrir o teu blog hoje. Não pela qualidade das produções, sempre impecáveis.

Devolvo o 'presente' com um pedacinho de Drummond:

"Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida." Carlos Drummond de Andrade