sábado, 28 de fevereiro de 2009

Por um vôo seguro

Melhor parar por aqui

E depois
tem todas as razões,
todos os senões,
uma infinidade de sermões.

Nem pense em abrir os botões:
- É melhor parar por aqui!

(VaneideDelmiro)




Coincidência ou não, o período pós-carnaval traz sempre um certo silêncio, interno, mesmo quando uma batucada de afetos insiste em permanecer na avenida, exibindo fantasias, desfilando confusões.

As cinzas se estendem quarta-feira afora e deixam na casa um odor de palavras queimadas, difícil de suportar. Essa fogueira parece não ter fim.

Eu, que tenho sido uma defensora ferrenha da palavra, tenho que admitir a facilidade com a qual somos por ela enganados... Ou nos deixamos enganar?

Seja como for, é uma desilusão amorosa e, como tal, dói. Dói muito. Talvez por isso a necessidade de recolher a asa e esperar...

Riscos podem ser bons, mas no momento anseio por um vôo seguro.

2 comentários:

Ludmila Clio disse...

Mas não se detenha... voe! Voe nas palavras, ainda que elas não te sejam seguras... o risco é inerente ao poeta... e vc o é!

Melhor parar por aqui!!
:)

Thulio Phelipe disse...

As máscaras caem juntamente com o fim do carnaval, a felicidade fingida não tem mais razãop para continuar ativa, e aquela felicidade dá lugar ao choro.
Ótimo texto.
Abraços.