quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

extraORDINÁRIO

"Cada coisa ordinária é um elemento de estima"
(Manoel de Barros, em Matéria de Poesia)




Não sabia que sentimento predominava quando, após anos de resistência, conseguira efetuar uma mudança de aparência tão simples...

Era, a um só tempo, alegria e espanto, raiva e encantamento.

Sentia que, em algum ponto, a carapaça começara a ceder em sua dureza, de forma tão tímida quanto ousada. Há muito o invólucro já não protegia, mas a aprisionava.

Reconhecidademente não foi nada de outro mundo. Nada inconcebível, de rara ocorrência, passível à genialidade, extraordinário. Antes, um ato corriqueiro, previsível, cotidiano como "feijão com arroz", "pão com manteiga". No entanto, aí residia todo o pasmo de si.

O ordinário - gerneroso por natureza - insistia em lhe bater à porta. Mas desta vez, como de costume, não o deixou escapar. Com a força de todos os braços, abraçou a possibilidade viva de experimentá-lo em sua grandeza. Certificava-se, enfim, que o extra é e está, sim, no ordinário.

Quão doce é ser comum.

E agora, quem sabe, qualquer dia aquele banho de mar...

(VaneideDelmiro)

7 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Mais intimista impossível! Extra, extraordinário!!!

NUSA disse...

EI TAMBEM GOSTEI DA MUDANÇA TUDO NO SEU TEMPO E NA SUA HORA.KKK

Paixão, M. disse...

"Há muito o invólucro já não protegia, mas a aprisionava."

Ô, linha tênue...

Maravilhoso isso tudo aí!
(incluindo o manél!)

E falando em mar, tou mesmo indo pra jão pessoa hein! hehehehe! e-mail guardado aqui! se der pra nos vermos, vai ser muito legal!

beijos e feli ano novo!

Ludmila Clio disse...

"Quão doce é ser comum"...
travo altos conflitos em mim mesma sobre esse pensamento. Às vezes, amar as entrelinhas e ver além do que está posto não é bom, soa esquisito... às vezes desejo ardentemente não ver além do óbvio e ser apenas, comum.
Profundo o texto!


Um lindo 2009!!!!

Mari Monici disse...

Amei!

Estou de volta, tentando ficar....rs

Um ano extraordinario pra ti!

Anônimo disse...

É estranho, também pensava assim: "(...) sentimento predominava quando, após anos de resistência..." Hoje depois de tanta coisas q se passaram, percebo q há coisas daquais não podemos fugir, q precisa ser encarada defrente...
Maravilhoso texto!!!

P.S.: Adoro navegar pelo seu blog, quanto mais navego mais fico maravilhado com sua delicada forma de escrever e de te conhecer mais q a aparência fisica.

Abraços,
Marcelo Cavalcanti